Pan 2023: Emoção, Determinação e Garra Levam a Seleção Feminina de Vôlei Rumo ao Ouro

0
374
Foto: Esporte News Mundo

Seleção Feminina Supera Desafios contra o México e Garantem Encontro com a República Dominicana na Disputa pelo Ouro

A jornada rumo à final, que parecia assegurada, tornou-se uma batalha intensa. A confiança dos jogos anteriores desapareceu por um momento. Diante de um México comandado pelo técnico Nicola Negro, o Brasil enfrentou dificuldades não antes vistas  nos Jogos Pan-Americanos de Santiago. No entanto, com determinação e disciplina , a equipe brasileira  comandada pelo experiente técnico Paulo Coco conseguiu reagir. Em um jogo emocionante de 3 sets a 2, com parciais de 25/17, 22/25, 27/25, 22/25 e 15/13, a seleção assegurou seu lugar na decisão e busca um ouro que não conquista desde Guadalajara 2011.

Na final, o Brasil encontrará um adversário familiar, o brasileiro Marcos Kwiek, técnico da República Dominicana. Ele tentará levar sua equipe ao segundo título consecutivo nos Jogos Pan-Americanos, após a vitória em Lima 2019. As duas seleções se enfrentarão nesta quinta-feira, às 20h, em uma final épica em busca da medalha de ouro. Esta final promete ser um duelo inesquecível, repleto de emoções, onde ambas as equipes lutarão com toda sua garra para conquistar a medalha de ouro e eternizar seus nomes na história do esporte pan-americano. A rivalidade amistosa entre os técnicos brasileiros acrescenta um toque especial a este confronto de titãs, tornando-o ainda mais aguardado pelos fãs do vôlei.

Sendo importante destacar que a seleção está utilizando uma equipe mista, montando uma combinação única de experiência e juventude tornando desta forma  uma vantagem crucial para o Brasil. A habilidade das jogadoras da seleção principal, Naiane, Maiara e Lorena, fundiu-se com a energia e determinação das jovens promessas, Helena e Larissa. Sob a orientação estratégica de Paulo Coco, talentos emergentes como Sabrina e Laís floresceram, revelando um time coeso e resiliente, pronto para enfrentar qualquer desafio que o Pan oferecesse. Essa sinergia entre veteranos e novatos se tornou não apenas uma estratégia, mas a essência do sucesso da equipe brasileira em Santiago. Onde Sabrina teve grande destaque no time, somando 24 pontos e desempenhando um papel fundamental na vitória do Brasil, apesar de alguns momentos de instabilidade, comuns a toda equipe. Outras jogadoras que tiveram papel essencial na vitória do Brasil foram Tainara, que entrou como ponteira, a jovem Luzia, além de Naiane,que tiveram um bom destaque durante a partida. 

Sobre a emoção do jogo, no primeiro set, o Brasil iniciou de forma dominante, com Naiane proporcionando um passe perfeito para Sabrina, que atacou com força e abriu o placar. Apesar de alguns erros, a equipe brasileira manteve uma vantagem sólida, chegando a 10/7 com Maiara Basso. O México tentou resistir, mas o Brasil continuou a crescer com tranquilidade, alcançando 20/12 graças a um desempenho brilhante de Lorena. O set foi encerrado em 25/17, consolidando a liderança brasileira.

O segundo set foi bem mais complicado, após uma vitória dominante no primeiro, o Brasil viu o México reagir de forma impressionante. O equilíbrio foi mantido até o fim, com ambos os times lutando arduamente por cada ponto. O México conseguiu vencer por 25/22, aumentando a pressão sobre o Brasil. 

No terceiro set, o Brasil enfrentou momentos cruciais. As dificuldades persistiram quando o México abriu 6/3. A espera prolongada devido a um desafio deu espaço para Nicola Negro, técnico do México, protagonizar seu espetáculo à beira da quadra. No entanto, com determinação, Sabrina conseguiu igualar o placar em 18/18 com um bloqueio impressionante. A equipe brasileira resistiu, salvando dois set points e empatando em 24/24. Sabrina mais uma vez se destacou, explorando o bloqueio para marcar 26/25, assegurando a virada em 27/25. 

No quarto set, o Brasil manteve a estratégia com Luzia e Tainara em quadra, abrindo 3/0. O México, entretanto, reagiu e igualou o placar em 12/12 com um ace de Luzia. A disputa permaneceu acirrada, mas o México conseguiu se manter à frente, fechando o set em 25/22 e forçando o tie-break. 

Por fim, no último e mais emocionante set, o equilíbrio prevaleceu. O Brasil chegou a abrir uma pequena vantagem, mas dois erros seguidos permitiram que o México empatasse. As mexicanas tomaram a dianteira com um ace de Topete. Sabrina, apesar de oscilar, foi a esperança brasileira, marcando 10/9 com um ataque poderoso. Tainara ampliou para 12/10 com um bloqueio impressionante. Nicola Negro pediu tempo, mas não foi o suficiente. No bloqueio de Lorena, o Brasil alcançou 14/10. As mexicanas conseguiram três pontos consecutivos, aumentando a tensão. Paulo Coco pediu tempo e tentou organizar a equipe. Finalmente, a vaga na final foi garantida quando Angel do México cometeu um erro de saque, selando a vitória por 15/13 e garantindo a emocionante vitória do Brasil.

A conquista  suada do Brasil sobre o México não apenas demonstrou a resiliência e a força mental da equipe, mas também destacou a importância da unidade e da diversidade dentro do time. A mistura de experiência e juventude, aliada à determinação incansável das jogadoras, foi fundamental para superar os desafios e garantir a merecida vaga na final. Agora, diante da República Dominicana, o Brasil se prepara para escrever mais um capítulo emocionante em sua jornada pelo ouro pan-americano, confiante em sua habilidade, coesão e paixão pelo esporte.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here